Som no Caixão #10 - My Underground


Porrada! Porrada! Com muito estilo, naqueles que não fazem anda!
Bem vindos de volta ao Som no Caixão, um podcast sobre bandas, artistas e álbuns pouco conhecidos, mas que nem por isso deixam de ser excelentes. No episódio de hoje, faremos uma autópsia no álbum My Underground, da banda de Ska Core & Punk Russa Distemper. Você também verá como espancar até o falecimento algum primo chato que você tenha, enquanto ouve o podcast.

Veja abaixo no fim deste post como ouvir o episódio direto do navegador ou como baixar para teu smartphone ou MP3 player, e conheça uma banda que mostra como o bons blues e rock de raiz podem ser feitos em qualquer lugar.

Duração: 54:40 minutos
Tamanho do download: 43,9 mb

LINKS RELACIONADOS AO EPISÓDIO
Site oficial do Distemper
Arte da capa do álbum
Baixe os álbuns no Jamendo
Distemper ao vivo
Mídia de Bar Podcast
Dicas na Rede, de Milena Azevedo
Receita de Borscht
Blog Metal-Libre

SOM NO CAIXÂO NAS REDES SOCIAIS
Tem Tuíti? Feicebúqui? Gúgolpluis? Unha encravada? Chore comigo nas redes sociais abaixo:
Curta o Som no Caixão no Facebook
Siga o Teatro Escuro do Pensador Louco no Twitter
Circule o Teatro Escuro do Pensador Louco no Google Plus
Também estamos no Podflix
E no Stitcher Radio (baixe o app gratuito do Stitcher para teu smartphone aqui)

E-MAIL
Gostou ou gosta de ouvir o Som no Caixão? Primeira vez? Segunda? Quarta feira? Uma das melhores formas de manter o som rolando é mandar um e-mail, nem que seja pra dizer que achou o som uma bosta. Então, cambada de desgramados, escrevam para pensadorlouco@gmail.com e mantenham este podcast morto-vivo. É grátis, é supimpa e tudo que peço é um fidibéqui pra saber se tem, alguém além das vozes na minha cabeça, ouvindo.

RSS e FEED
Só pra te informar, ambos são basicamente a mesma coisa e você pode assiná-los clicando aqui.

COMO OUVIR ESTE PODCAST
Basta clicar com o mouse no play (que parece um triângulo de três pontas apontando pra Meca) logo abaixo deste texto idiota, para ouvir direto no navegador.
Para baixar para teu computador em formato MP3, clique em “Faça o download do episódio” com o botão direito e escolha “Salvar link como”.
Se você é um desses hipsters que consideram MP3 coisa do passado e de gente com pouca amplitude cultural, baixe o episódio em formato Ogg Vorbis fazendo o mesmo que fez no parágrafo acima, mas no link indicado para Ogg Vorbis.
Arquivo zipado? Quer mais moleza ainda? Então sente no pudim e clique no link “Faça o Download em formato Zip”, e nunca reclame que não damos várias alternativas pra você ouvir esta porrinha.
E finalmente, para baixar via Torrent basta clicar no link indicado (desde que você tenha um programa de Torrent instalado, mané).
Ficou claro? Vixe, até que enfim!

Faça o Download do episódio em MP3
Faça o Download do episódio em Ogg Vorbis
Faça o Download do episódio em formato Zip
Faça o Download do episódio via Torrent



8 comentários:

  1. Ola! Tudo bom? Passando apenas para elogiar mais uma vez o excelente episodio! Lembro quando escutava o estilo punk e das minhas aventuras de skate! Acho muito engraçado ouvir musicas cantadas que não sejam em inglês. Não que isso tire o brilho e a competência da banda mas como nunca havia escutado (tirando rammstein) música em outra língua, acho um diferente super bacana! Estou começando a ficar com dó de vc pois deve ser escroto falar nome de banda e músicos em russo!

    E obrigado por suas indicações! Graças a ela consegui achar o estilo de blues que estava procurando para encaixar na nossa nova apresentação!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola, não vou te negar que é foda tentar pronunciar nomes de bandas cujo idioma desconheço completamente. E olha que nem fiz episódio ainda sobre bandas Filipinas.

      Como tenho muita coisa de bandas pelo mundaréu afora, sempre peço ajuda ao tido gúgôl na tradução das letras (afinal, não gostaria de curtir uma banda egípcia que fizesse apologia ao Sarney), mas os nomes dos artistas é cruel.

      Já ouvi teu último episódio e gostei muito da nova introdução, mostram o quanto de bom gosto têm. Abração e bom feriado, meu amigo. 8)

      Excluir
  2. Fodao. Naum conhecia nem o estilu nem a banda eu antes só ouvia punk mais corrido mais curti muito. Ruim é ninguém mais conhece e não eu não poder conversar sobre a banda mas foi bem legal. Volto pra ouvi as próximas mais faz de rocabilly também po. T+ Alberto Hackback de brasília.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alberto, muito obrigado pela visita e comentário. Caso tenha sido a primeira, espero que volte mais. Só o fato de ter gostado já mostra a amplitude mental de alguém que não teme ouvir sons novos ou diferentes.

      Agora, quanto a não conhecer mais ninguém que conheça a banda, acho que você está vendo pelo lado errado. Se por um lado acha que é ruim não ter com quem comentar sobre o som que ouviu e (quase) ninguém mais, por outro você é quem pode disseminar esse som (tendo que ele é livre pra baixar e jogar adiante) pra quem ainda não conhece, pulverizando cultura da forma certa de se fazer. Criar uma tendência começa bem assim, e espero que você se aproveite dessa ideia.

      Volto a dizer, se todos ficarmos ouvindo apenas o que todos já conhecem, então ficaríamos eternamente presos a ouvir Cai Cai Balão.

      Quanto ao rockabilly, certamente está na lista para virar episódio, e espero não decepcionar, porque é uma banda muito phoda.

      Saudações a você e Brasília, e volte sempre meu amigo. 8)

      Excluir
  3. Não é o estilo que curto,mas quer saber adorei,talvez seja pq ouvi no momento certo,enfim... admiro muito o teu trabalho,a cada novo episódio tu te superas... me sinto honrada em poder acompanhar esta evolução... parabéns!!!.... bjs....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elaine, tua presença aqui é a maior prova de que este projeto mequetrefe dá certo.

      A ideia que tive foi justamente de propor música alternativa para ouvidos abertos, mostrar que boas composições independem de estilo e que quem tem uma boa cuca sabe apreciar, mesmo que não ouça algo dentro de sua zona de conforto.

      No teu caso, por exemplo, sei que você gosta mais de blues, rock and roll e blues, mas é como você mesma disse: se sentiu empolgada e gostou do som porque estava aberta a se deixar levar pelo momento certo. Deixou a porta aberta para gostar de algo do que não gostaria normalmente e o resultado foi bom.

      Se você diz que admira meu trabalho, te respondo que admiro muito mais tua parte nessa história ao me dizer quais foram tuas impressões dos episódios, como te fizeram sentir, do que gostou e do que não. Não somente me dá mais força pra continuar, mostra como você do que a maioria das pessoas faz, que é obedecer às tendências ditadas por um comitê do que devem usar, ouvir, ver, vestir, etc.

      E isso, mais do que Mastercárdi, não tem preço.

      Espero que você esteja sempre por perto, tuas opiniões são mega hiper ultra micro baixas calorias de boas. Beijão e volte sempre. 8)

      Excluir
  4. cecilia forte ✞20 de maio de 2014 06:59

    Esse é um dos motivos que me faz crer que o Punk não morrerá jamais! Muito muito booooom :D

    ResponderExcluir
  5. Cecilia, o pânqui nunca irá morrer enquanto houver bandas boas como essa pra defender o estandarte. Você tem toda a razão.

    Agradeço muito que você tenha vindo conhecer meu despretensioso podcast. Aqui bisco difundor bandas e artistas que poucos conheçam, pra não ficarmos só reféns do que querem que a gente ouça. O mundo é um buraco tão grande que tem que haver coisas melhores pra ouvir, e minha luta é exatamente essa.

    Volte sempre pra ouvir as novidades e espero nunca decepcionar. 8)

    ResponderExcluir