Prestação de contas

Ok, ouvintes do cemitério, é hora do pedido anual de desculpas.

Sei que não posto nada aqui há tempos, que os podcasts estão atrasados e que tenho recebido pencas de reclamações por causa disso.

Infelizmente, minha vida deu uma baqueada séria e para pior estes últimos meses, em saúde, em campo profissional e etc., e por isso fiquei afastado de tostar os tímpanos de vocês com novo conteúdo. Sinto muito mesmo.

Mas vocês sabem como é: os que não nos mata nos deixa mais cascudos e escrotos, e creio que vocês possam imaginar que, cascudo e escroto como sou, sobrevivi à morte várias vezes.

Por isso gostaria de dizer que, agora que estou tentando sair dos escombros e botar a vida de volta nos eixos, se não gravei nada novo ainda é porque estou ganhando novo fôlego; se não dei parecer é porque estou planejando algo especial; se não escrevi anda a respeito ainda, é porque sou um filho duma égua que não fica se explicando a cada passo mal dado que dá. E, claro, que esta merda não acabou.

Dito isso, desejo a todos que me acompanharam pelas leituras e "ouviduras" durante este e outros anos, que participaram, comentaram, compartilharam, ou mesmo os que só ouviram sem nunca dar as caras, e a todos os seus à volta, mesmo os que nem sabem que existo (o que não é nem de longe algo ruim) um puta fim de ano e um ano novo melhor ainda. Um reveião cercado de boa música, bons amigos, rendendo boas histórias a serem contadas sempre com orgulho e grandes risadas.

Espero que 2016 seja perfeito e além para cada um de vocês.

E nos ouvimos certamente no próximo podcast.

Feliz festas para todos!

Rock and roll na véia!